• Gabriela Rangel

𝑅𝑒𝑠𝑒𝑛𝘩𝑎 || 𝐴𝑠 𝑄𝑢𝑎𝑡𝑟𝑜 𝑅𝑎𝑖𝑛𝘩𝑎𝑠 𝑀𝑜𝑟𝑡𝑎𝑠

E vamos para mais uma resenha super sincera? Espero que todos vocês estejam bem! Sentem-se e desfrutem da bomba que foi As Quatro Rainhas Mortas. Um livro que prometia tramas políticas intensas e reviravoltas investigativas emocionantes, tudo isso ambientado em um mundo fantástico e completamente novo. No fim das contas, não deu muito certo.

Sinopse:

Na efervescência de paixões proibidas, segredos e alguns mistérios, o reinado das quatro rainhas de Quadara está ameaçado – resta saber como, e por quem.No continente de Quadara, há séculos quatro rainhas reinam absolutas, cada uma representando o próprio quadrante. Juntas, mas separadas. A decidida Iris fala por Archia, a ilha de terras férteis; a estoica Corra representa a tecnológica Eonia; Marguerite, a mais velha das rainhas, é a soberana de Toria e de seus curiosos habitantes; e Stessa, a mais jovem, é o rosto de Ludia, o quadrante da diversão e da arte. As quatro mulheres dividem o poder, sempre respeitando as Leis das Rainhas, sempre pensando no povo e no melhor para a nação. Mas elas têm segredos, e estes podem ser letais. Tão letais quanto Kelarie Corrington. Aos 17 anos, a toriana é a mais hábil larápia e a melhor mentirosa de Jetée. um distrito de excessos, contrabando e charlatões. O último lugar que Varin, um mensageiro eonista, deveria visitar. Mas ele foi roubado... por Keralie, e a jovem é a única esperança de reaver a mercadoria e manter seu emprego. Um mensageiro nunca pode perder sua encomenda. Para piorar, há coisas muito mais sinistras nos chips de comunicação afanados por Keralie. Algo que pode enredar a larápia e o mensageiro em uma conspiração para assassinar as quatro rainhas de Quadara. Sem opção, os dois resolvem se unir para descobrir o assassino e salvar a própria vida no processo. Quando sua relutante parceria começa a se transformar em algo mais, os dois precisam aprender a confiar um no outro e a superar as diferenças entre quadrantes para viver esse amor. Mas será que uma curiosa toriana e um insensível eonista têm alguma chance?

Uma mistura de fantasia com suspense, a narrativa se intercala entre o ponto de vista da nossa personagem principal e a visão das quatro rainhas. O início desse livro é totalmente cansativo e arrastado, além disso, a história foi toda MUITO previsível e nenhum plot twist conseguiu me prender. Além disso, em trinta páginas esse livro tinha me apresentado TANTOS personagens que eu não sabia para onde estava indo, só tinha certeza de que não ia dar certo.

Por um lado amei as rainhas e suas disparidades — a autora acertou em sair dos esteriótipos — Keralie é uma típica protagonista de altos e baixos. Tendo tudo para ser um grande nome na trama, sua excessiva insegurança e sentimentos dúbios me irritaram. Também achei que faltou algo que me fizesse entender porque ela tinha tais pensamentos e questionamentos, mas ver a superação de traumas da Keralie foi um ponto positivo.

"Havia uma fúria dentro de mim que eu não conseguia controlar. Uma escuridão intrínseca, como uma sombra. E eu não tinha certeza se Mackiel a criara ou se sempre fora parte de mim."

O final chega com uma alta carga de informações e acontecimentos que no meu ponto de vista, foram totalmente previsíveis mal trabalhados. Várias cenas me pareceram forçadas, contendo atitudes ilógicas e sem justificativas plausíveis.

Eu não sei se estava esperando muito da escrita da autora, que já trabalhou com grandes nomes. O fato é que eu fiquei realmente bem frustrada com o que eu li. A resolução do mistério é bem ilógica. A proposta é criativa, mas não houve espaço para desenvolvê-la. As Quatro Rainhas Mortas tinha potencial para ser, pelo menos, uma duologia. Até a representatividade presente na história sofre, afinal, por que inserir personagens negros e LGBTQ+ se você não vai dar relevância para os mesmos?

"Uma coluna de pele pálida e impecável. Uma faca prateada fina. Um corte rápido. Uma boca aberta para articular o grito. Sangue brotando de um ferimento profundo. Um abismo em vermelho."

O marketing desse livro foi gigantesco e eu estava esperando muito dessa leitura. Vale ressaltar novamente que foi extremamente decepcionante. Mas não posso dizer que o livro foi uma completa porcaria. O romance dos dois personagens no final das contas foi fofo e me fez dar uma estrelinha a mais ali, mesmo os dois não tendo desenvolvimento nenhum.

Quanto ao trabalho da editora eu tenho apenas elogios. A capa é bonita e ao abrir o livro temos o mapa de Quadara, que também pode ser observado ao final. As folhas são amareladas e aparentemente houve uma melhora no papel de impressão, o que pra mim foi ÓTIMO, já que as folhas de impressão dessa editora são PÉSSIMAS. A história é dividida em quatro partes e possuiu seis pontos de vista, sendo apenas o de Keralie em primeira pessoa.

Se você é um grande fã das fantasias como eu, é muito provável que seja uma leitura decepcionante, mas talvez o livro tenha seu público!

Amar alguém é sempre correr o risco de ter o coração partido. Mas os momentos na companhia um do outro compensam qualquer dificuldade


Título: As Quatro Rainhas Mortas

Autor: Astrid scholte

Editora: Galera Record

Páginas: 392

Avaliação: ★★★☆☆

Clique aqui para comprar o livro!